quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Sentir nos faz sentir


Sou de lua. Em um momento estou alegre, rindo das ironias da vida; no outro estou horrivelmente triste, deprimido, angustiado e frustrado. Assim, do nada. E a única coisa necessária para que essa transformação aconteça, é um empurrãozinho para me lembrar de como é essa sensação desesperadora. Essa loucura sem explicação que é "sentir". E seja um sentimento bom ou ruim, sempre acreditei que sentir é a coisa mais maravilhosa que podemos experimentar, pois é isso que prova nossa existência. Sentir faz com que a gente se sinta realmente vivo, não significando, necessariamente, que seja uma experiência boa. As vezes, faz você querer sentir o exato oposto.

Quantos de vocês já se sentiram como se absorvessem os problemas dos outros? Como se tudo de ruim fosse pra você? E quantos realmente desejaram que isso acontecesse, pelo bem de quem vocês gostam?

Quantos já se viram cegos de ciúme, machucando a única pessoa que, no momento, vocês querem bem? E quantos já quiseram que alguém sentisse um pouco de ciúme de vocês? Ou que pelo menos notassem, não sua ausência, mas, de fato, a sua presença? Que você está alí, de corpo e de alma, notando esta e todas as outras pessoas e suas presenças físicas e mentais, e como todas elas têm um lugar no mundo. Menos você.

Quantos se apaixonaram, no sentido mais forte da palavra? E no mais fraco? Você sabia o que fazer? O que dizer? O que pensar? Já confundiu o que você sentia? Já teve dúvida se era mera confusão ou não?

Quantos já quiseram dizer tantas coisas que não foram ditas? Fazer o que não foi feito? Quantos se arrependeram disso? Quantos arrependimentos vocês levam nas costas? Porque vocês não dão meia volta e vão até lá fazer ou dizer o que vocês realmente querem?

Quantos já se sentiram perdidos na vida? Já parou para pensar em tudo o que você fez e conseguiu até hoje e percebeu que você não sabe o que está fazendo? Percebeu que você, na verdade, não conquistou nada nesta vida? Ou que está atrasado em relação ao resto do mundo? Ou, talvez, que você possa ser a pessoa mais azarada deste mundo? Ou percebeu que, de uma certa forma, tem orgulho disso?

Quantos já se sentiram péssimos amigos? Péssimas pessoas? Péssimos amantes? E acharam a resposta para mudar isso? Vocês tentaram mudar?

Quantas vezes já sentiram a tristeza de ver as pessoas desaparecerem, deixando um mero vulto, um eco, do que costumavam ser? E quantas vezes você mesmo(a) foi esta pessoa?

Quantos já se sentiram um peso? Não por serem um problema, mas por meramente existir. Sua existência pesa na vida dos outros? Pesa para você? Ou é tão leve que você simplesmente se sente a pessoa mais insignificante deste mundo? E apesar de você amar tanto as outras pessoas, não acha que alguém pode jamais te amar. Aliás, você sabe o que é existir? Acha que você existe? Sente a existência?

E quantos de vocês, de tanto ansiarem pelo reconhecimento e pela vida, sem resposta, ansiaram pela morte? Não o mero suicídio desesperado, e sim aquela que, de fato, tem o direito de ser chamada de "descanso eterno"? Atingir a real inexistência, a morte total, o fim. Porque, afinal, se você não se sente vivo e não se sente morto... O que é você?

7 comentários:

Raphael TT disse...

Mr green, textoe comovente como sempre...
Faz a gente..sentir.

Leandro disse...

Li, reli e li de novo. E, desculpe, cara, esse texto me deixou mal.
Tudo que eu disser vai parecer banal e clichê. E odeio clichês.

Enfim, você me deixou sem palavras.

Desculpe se te pressionei de alguma forma nesses quase dois anos.

Sabe que pode contar comigo.

E como você mesmo diz, "somos apenas uns caras olhando o horizonte"

Abraço.

Tamara disse...

Sato, eu sempre penso nessas coisas, e nas enrascadas que nos metemos por causa delas. Nos conselhos bons e ruins que as pessoas dão, em tudo. Nas ações planejadas, ações deveras movidas pelo acaso, tudo, todo esse sentimento. Sim, você já disse, sentimento é como nosso motor. Mas às vezes me pergunto se o melhor mesmo é sentir...se vale a pena sentir. Não sei se é possível se imunizar contra os sentimentos, mas queria experimentar tal sensação por um tempo, pra descobrir o que realmente é melhor. No fundo, acho que gosto de ser essa máquina sentimental aí, mesmo que dê com os burros n'água na maior parte do tempo.

Nathália disse...

Não sei se é porque eu tô sensível ou por outra coisa, mas acontece que eu não soube responder nem 1/6 das suas perguntas.
é sempre assim.

:/

Tatiane disse...

São tantas perguntas, e quase nenhuma resposta.

Concordo com você quanto a sentir, até por que, sem isso nós seriamos o que? Apenas um monte de células sem sentido vagando pelo mundo.

Então, mesmo sendo ruim, sinta, porque faz bem, mesmo fazendo mal.

E desculpe se eu tiver algo a ver com isso, não foi intencional, acredite.

Saiba que pode contar comigo, seja pra desabafos, ou pra rir das piadas toscas dos meninos no metrô.

=/

Aline disse...

Nossa tah d+ esse blog Sr. Sato!! rsrs
Então, nossa, é mto legal poder ler e entender tudo aquilo que ás vezes passa por nossa mente e que não conseguimos colocar no papel, o legal é q vc consegue!! Por isso vou repetir a mesma coisa q jah te disse antes!!! VC PRECISA ESCREVER UM LIVRO!!! hauhauhauhauhauha
Eu sei q sua resposta seria a mesma de sempre... Mas um dia ainda te convenço...
Olha, parabéns viu...
Não vou expor minha idéia sobre o texto pois á essa hora não sei nem mais oque estou digitando... rsrs
Mas então já vou indo!!
Mesmo parecendo besteira, ou falcidade, pelo pouco tempo q nos conhecemos, mas tenho q te dizer q te considero uma pessoa mto especial e um grande amigo...
Tchauu
Bjinhus ^^

Danilo disse...

Essa vida é tentativa e erro, não tem jeito.

De todas essas pessoas que vêm e vão, você tem que dar o máximo para fazer o bem e não olhar a quem. Não se leva nada dessa vida, e quando você vai, é tudo só mais uma grande viagem.

Quando você se envolve com alguém em um nível não superficial, chega uma hora que você se fode. Você só tem que escolher por quem vale a pena se foder. Seja amigo, seja amante.

"Se chorei ou se sorri"... É bem isso.