sexta-feira, 3 de julho de 2009

Idade: XX

Não consigo entender por que as pessoas insistem tanto em crescer. A ilusão de fazer o que quer? Isso é mentira. Você sempre precisará dar satisfações para outra pessoa, seus problemas e suas responsabilidades só aumentam. Não existe essa coisa de ser independente, pois todos precisam, querendo ou não, de alguém. Então por que todo mundo quer crescer?

Qual é a idéia de independência que se tem? Completar a maioridade, ignorar ordens dos pais (lenda) e poder ir encher a cara depois da meia noite nos bares da vida? Você mal vai ter tempo ou fôlego para isso. Faculdade e trabalho irão te consumir totalmente. Aí vem alguém e me diz que trabalhar é bom, dignifica o homem. Dignifica o caralho! Isso é coisa de gente conformista ou adepta da sociedade capitalista. Ou os dois. Tá, aí vem a mesma pessoa e diz que eu VIVO na sociedade capitalista. E daí? Só por causa disso preciso jogar por todas as regras dela, sem exceções? Como eu disse, conformista. Além disso, conheço um monte de gente que trabalha e que de digna não tem nada.

Crianças e adolescentes querem ser adultos. Esses, por sua vez, querem voltar para a infância ou adolescência. Será que ninguém mais percebe o círculo vicioso, a rua sem saída? Se crescer fosse bom, por que todo mundo iria querer voltar? Jovens sonham com a vida adulta, com as possibilidades, com o “eu quero”. Adultos se prendem demais à realidade para sonhar. Muitas vezes, propositalmente, mesmo que de forma inconsciente. Essa é a única diferença de crescer: os sonhos.

As pessoas não equilibram mais, em um certo momento, o sonho e a realidade. Percebi isso quando uma garota de 13 anos, muito legal e inteligente por acaso, me disse que eu preciso sonhar mais. E ela tem toda a razão! Essa é a maior prova de que idade não importa. Criança, adulto, que diferença faz? Todos têm algo para aprender uns com os outros. A idade é só um detalhe secundário.

Quando eu tinha 13 anos, consolava um amigo quase dez anos mais velho do que eu. Ele sofria de depressão e eu tentava chacoalhar ele pra ver se ele saía dessa. Tentava mostrar o outro lado da verdade, o lado bom, que vale a pena. Muitos desses lados que, hoje, eu nem lembro mais quais são...

Não me considero “gente grande”. Na verdade, me acho um pirralho, tenho muito o que aprender ainda em diversos sentidos. A questão é: qual é o problema de viver como se quer? Por que todo mundo precisa viver da mesma forma que os outros? Só porque você não vai ser bem visto na sociedade? E daí? Crescer não é bom. Não quando você esquece como é ser pequeno. E, no fim, não há nada mais infantil do que querer ser adulto.



* Na foto: Robbert Loggia (esquerda) e Tom Hanks (direita) na famosa cena do piano gigante no filme "Quero Ser Grande" ("Big", 1988)

12 comentários:

Gleyci Pamplona disse...

Adorei o texto, é por isso que não me arrependo de nada nem quero voltar pra nada, eu quero passar por todas as idades possiveis, cada uma tem sua particulariedade boa ou ruim, é a vida.É a vida, cansativa ou irresponsavel, boa ou ruim, agente ta qui só a passeio mesmo.
Bjus... =*

Ícaro disse...

cara! acho q "quando vc crescer" vai ter uma cadeira na academia brasileira de letras!
vc eh foda!
huahuahuhua

e, fico imaginando oq um cara de 40 anos deve fazer quando esta sozinho em casa? sera q ele corre cantando uma musica da sua infancia? sera q ele nao amarra a coberta no pescoço?
estranho!!!rs

abraçao!

Leandro disse...

Como "diz" Freud, a culpa de tudo é da mãe. hahaha

Eu tava lendo esses dias que muitas das situações que passamos são repetições da nossa infância. Por exemplo: quando uma pessoa sente ansiedade e por isso sua, fica ofegante e até chora, essas sensações são uma repetição do que ela sentiu na primeira vez que foi separada da mãe, e, inconscientemente, ela se lembra disso.

Mas então, talvez muito do que fazemos tenha a ver com a nossa infância, sei lá.

É meio maluco, né? Eu também acho.

Raphael TT disse...

O "ser adulto" ou o "ter responsabilidade" fazem parte da passagem dos anos... Isso é bom??Eu não acho... Quando você é criança, quer ser adulto para poder ter a liberdade que não tem...Quando é adulto, quer voltar a ser criança para fugir de toda essa responsabilidade que a "independência" traz para você...
Eu vou jogar video-game até o dia que eu morrer! (A palavra independência ainda é acentuada conforme a nova regra gramatical?)

Ícaro disse...

e a revolta toma conta do coraçao!

Ícaro disse...

aguardando uma atualizaçao!rs

abraços!

Ícaro disse...

po cara... d 0 a 10 pro livro, eu dou 6... achei q deu muita enfase as drogas... mas, bem... pra uma "biografia" de um cara como o Dee Dee...nao tinha muito oq esperar neh...

vou me despedindo do blog!rs
nos falamos por msn...(eh mais real - ahuhuauha)

abraçao!

gleyci pamplona disse...

Um texto novooooooo =(
saudades...

Natália disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
Eu viii isso aqui em baixoo do michael jackson!! eu vou fazer vc andar no moonwalk na faculdade, se vai ver só!

hahahaha
bjo sato

sam disse...

Achei otima a escolha da foto.. simplesmente um classico..
Mas comentando o post sobre crescer..
Acho que não é saudável vivermos com a síndrome do peter pan.. concordo que crescer é um porre.. que as obrigações aumentam.. que não da sempre pra pedir colo dos pais quando uma pessoa briga com vc..
Mas, existem tantas compensações..
Por exemplo, aqueles probleminhas bobos que eram gigantes qdo vc era pequeno, vc consegue enfrentá-los de uma maneira que possa se tornar gigante.
Quem vive com medo de crescer, vive pequeno demais.. experiencia propria... =]

Jefferson Sato disse...

Mas o texto não é sobre não querer ser adulto. A questão é que um adulto "puro" também tem suas limitações. A proposta é saber equilibrar os dois lados, ser um adulto, mas, por vezes, ter a visão de uma criança da própria vida.

Acho que crescer é isso. Não é ficar nem no 8 nem no 80, mas saber se manter nos 40.

Letícia Ribeiro disse...

Caro Sato, hora de postar (sei que não tenho moral, não precisa me lembrar :)

By the way, ando na vibe da coca-cola, quando é que aquele nosso papo vai rolar, hein?!