sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Cofres e moedas


Cofres são coisas engraçadas. Não vejo o menor sentido na existência de um cofre caseiro. Ultimamente, meu irmão esteve procurando um cofrinho em formato de porco. Para quê? Você gasta dinheiro para ter um lugar para guardar dinheiro. Isso é paradoxal! E outra... Você vai ter que quebrar o cofre! Você compra uma coisa exclusivamente para quebrá-la em algum momento. Parece algo realmente estúpido de se fazer.

Ah, mas vai vir alguma pessoa genial e me dizer que existem cofrinhos que você pode abrir à vontade... É PIOR AINDA! Se você pode simplesmente ir lá e tirar o dinheiro, QUAL É O MOTIVO DE TER O COFRE? PÕE NA GAVETA! Lembre-se: não estamos falando de cofres super elaborados feitos de titânio, com senhas, que guardam quantias absurdas de dinheiro. É UM MALDITO COFRE COM TAMPA (e, às vezes, um cadeado)! Se você olhar feio para aquilo, o negócio abre sozinho! Coloque o dinheiro num saco e enfie num buraco da sua estante velha. NINGUÉM VAI ACHAR! E você não vai precisar arrebentar (mais ainda) a sua estante depois.

Esses dias estava no Shopping West Plaza com meu irmão e minha cunhada, esperando dar o horário para irmos ao jogo do Palmeiras (nem sou palmeirense, fui de alegre mesmo). Entramos em uma loja da Camicado e ficamos andando aleatóriamente lá dentro. Pronto, ali estão: cofres de porcelana. Tem porco florido, tem botinhas, vaca, boi, cavalo, dragão, tem todas as formas que você imaginar, com tampa, sem tampa... Sem tampa? Um cofre de porcelana que custa 80 reais... Que vai ser quebrado! Aí, quando olhar lá dentro, parabéns, você juntou 79 reais. Belo investimento.

Aliás, dinheiro em si é uma coisa bizarra. Até o momento em que utilizavam metais, tudo bem, eles tem valor de troca até hoje, mas nunca entendi bem como começou o uso do papel como moeda. Quando todo mundo se deu conta, as pessoas estavam trocando papeis por botas. Tenho certeza que tem alguém que se deu muito bem com isso. Sempre tem!

É uma pena que notas de cem sejam lendas urbanas, o negócio não existe! "Ah, eu já peguei em uma nota de cem", é MENTIRA, elas foram extintas! Se lançarem uma nota nova vai ter a imagem de uma de cem na parte de trás por causa disso! "Ah, ouvi dizer que elas falam", "Ah, ouvi dizer que elas brilham no escuro", "Ah, ouvi dizer que se você pegar uma e esfregar três vezes, sai um ex-presidente e realiza um desejo".

- QUERO UMA NOTA DE CEM! TEM COMO? Vi um cofre lindo que eu posso usar para guardar, custa só duzentos reais!

Falando em valores, eu li na revista Superinteressante uma vez que para fabricar uma moeda de um centavo custa... nove centavos! E a de cinco centavos custa doze centavos. Em primeiro lugar, considero essas duas moedas completamente sem razão de existir. Especialmente a de um centavo. O negócio meramente não tem utilidade. A vida de todo mundo seria muito mais fácil se ambas não existissem! E que puta prejuízo! Que idéia de imbecil é essa? De acordo com a própria Superinteressante, são mais de R$ 93 milhões jogados no lixo! Depois dizem que economia é um assunto chato e complicado. Não é que é complicado, é que não faz sentido mesmo!

8 comentários:

Tamara disse...

Sato, o texto tá legal, bem construído, mas veja lá esse negócio do último parágrafo. Olha, eles estão tirando as moedas de um centavo de circulação. E isso é péssimo, é uma tragédia, acaba de certa forma provocando uma inflaçãozinha que fica circulando. Super prejudicial. Eu tenho cofres. Vai mais pelo ritual mesmo, eu nunca tinha pensado em discutir a utilidade disso. É um ritual gostoso, não me leve a mal. Bom, mas eu ainda gosto de você né.

Nathália disse...

Eu nunca tive um desses porcos pra quebrar...
primeiro porque os que vendem aqui são muito feios (Tem gente que vende no sinal mesmo!). E os que são bonitos (raros), são bem caros, ou seja, não compensa. aaahuaha

mas sobre as moedas de 1 centavo, eu tinha lido essa matéria, mas nunca vejo essas moedas por aí! ahauha

beeijo!

Tatiane disse...

Eu só tive um cofrinho de dinheiro (eu sei que parece redundância, mas pode ser que alguém pense em "cofrinho" em outro sentido, então é bom especificar)na vida. Era cinza e, por mais que se tentasse por uma senha pra travá-lo, ele nunca fechava, muito menos registrava a senha.

E eu tenho uma moeda de 1 centavo. Acho que nunca vou usá-la, mas enfim...
E também acho que, pra se banir as moedas de 1 centavo do mercado, deveriam banir os preços quebrados também (tipo 1,99 sabe?).

Beijo.

Leandro disse...

Mas as moedas de 1 real compensam as de 1 centavo. Ou seja, a de 1 real custa 13 centavos pra fazer, se eu não me engano. Então, o lucro é gigantesco.

Enfim, cultura inútil essa de saber o preço de uma moeda.
shahsahshas

Tchau.

Daniel Antunes disse...

Sato, o cofrinho vale mais pelo rito de ir lá e depositar dinheiro...Ninguém de fato economiza com essas bostas. Mesmo assim é válido. Vc pode ensinar para o seu filho sobre dinheiro e sobre o ato de economizar com um cofrinho..

Mas vc como Jedi já sabia de tudo isso e escreveu esse texto apenas para nos testar. Obrigado pela lição, mestre!

FLW!

Nathália disse...

Depois dessa definição toda lá no blog depois do meu post, eu vi que você é um pisciano convicto!
Se você disser que você não tem nada a ver com o que foi escrito... então eu não te conheço NADA.

xDD

Anônimo disse...

Eu tinha uma nota de cem.
gastei lá no out´s.
é difícil aceitarem.
onça já é díficil.
a nota de cem podia sair
de circulação (ela nem circula)
mas moedas de um centavo não.

fausto.

daina disse...

Na minha opinião, se vc quer guardar dinheiro, faça uma poupança
:)
la o dinheiro fica guardadinho, vc não meche até conseguir o quanto queria e nem corre o risco de se machucar com o que sobraria do porquinho de porcelana
uhehuehuehhueuhe